sexta-feira, 10 de julho de 2009

Um poema feito para um aniversário

Para Y...
Antes que desapareça.

Não celebro contigo teu nascimento
Não. Celebro antes, em mim, tua existência
E morada própria
De valor incompreensível em ti
Feito de instantes

Sob poeiras e caixas
Sei que tua música se esconde
Como um sussurro na cidade

E eu, toda ouvidos, aguardo
Um verso que seja
Dessa canção estranhamente silenciosa

...

Silêncio não é proteção
Verbo não é sermão
Toque não é carinho
Só podem ser...

Mudamos de lugar a cada ano
Para frente e para trás
Um ano a menos
Um ano a mais

Logo, não me julgues deslumbrada
Nem poeta, nem nada

Insisto e pesco poesia em rio seco
Mesmo sendo feita só de água


(07/07/2009)

4 comentários:

Cinthia Belonia disse...

caramba! lis motta, vc tá demais!!!

fingers disse...

Meu Deus, lindo.
Cada imagem que vc conseguiu capturar.
Do que eh que vc tanto reclama, quando reclama?
Es abencoada com o dom de traduzir. Meo Deos, Lis.
Se eu fosse um produtor, eu te publcaria.

Rodrigo disse...

Poesia líquida! E essa água te gosto de sol...

Thalita Covre disse...

A primeira poesia está linda!