quarta-feira, 4 de novembro de 2009

Para Rodolfo

Está sempre de olho
O preciso rapaz:
Tranquilo e sagaz
Em questões do avesso
Canhoto sem pressa
Junta os caquinhos
Gosta de um mistério
E vai com calma à conclusão
Olhos que sempre
Vêem bem
Além do posto
Recebe sinais das estrelas
E é amigo do vento
No rosto
Corado
Docemente abrutalhado
Pedaladas ao sol
Terça ou quinta
Ele é ímpar!
Vai e nunca dá tchau
Mas por aqui sempre fica:
Eu de olho nele de olho...

2 comentários:

Rodrigo Domit disse...

Lis, como vai a vida aí no ES?

tenho que te recomendar uma rede social ... exclusivamente voltada à literatura nacional - aqui ó: http://escritoresbrasileiros.ning.com/

espero que goste

beijos

Thalita Covre disse...

Se solta Lis, e escreve de forma a encantar não somente um, mas um milhão!